segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

A maçonaria que controla a Justiça em Portugal unida como nunca!

 

Estão todos a defender o juiz desembargador Neto Moura e a outra juíza desembargadora de nome Luísa Arantes, também sua cúmplice na elaboração do polémico acordão. Vejam a notícia do Expresso desta semana.

Gil Canha em excelente artigo de Opinião para atiçar o "Gordo Papudo"

Fantasiar para não sofrer
Por Gil Canha

Para a semana, a Assembleia Legislativa da RAM irá discutir o orçamento para o próximo ano, sendo a nossa monstruosa dívida o tema central da discussão parlamentar, já que condiciona todo o resto. Para explicar melhor este drama com rasgos de hecatombe, só os custos com o serviço da dívida levam 607 milhões de euros anuais, para uma previsão de receitas no valor de 850 milhões de euros.  Para ser mais explicito, quase 80% daquilo que os madeirenses pagam dos seus impostos é para alimentar este tenebroso “bicho papão”, criado e medrado pela tresloucada governação jardinista. 


E como é que os madeirenses reagem perante isto?! Com resignação? Com revolta? Com desespero? Com alheamento? Sigmund Freud, na sua obra “A psicologia das Massas e Análise do Eu” defende que “as massas por vezes têm uma psicologia e um comportamento muito semelhante ao indivíduo isolado”. (Atenção cafofianos! Isto não tem nada a ver com massas nem esparguetes). Sendo assim, podemos adaptar ao povo madeirense o “Modelo de Sofrimento” arquitetado pela célebre psiquiatra Elisabeth Kubler-Ross, no seu livro On Death and Dying, onde defende que a maioria das pessoas passam por uma reação psíquica face à tragédia, ao luto e à perspetiva da morte, em cinco fases:  1. Negação, 2. Raiva,3. Negociação, 4. Depressão, 5. Aceitação.
Ora, perante esta tragédia de proporções apocalípticas e seguindo o modelo Kubler-Ross, em que fase estamos presentemente? A Negação e a Raiva contra a dívida de Alberto João Jardim já passaram, provavelmente a fase da Negociação também, se calhar neste momento o povo ainda está Deprimido, mas já vão aparecendo alguns sinais indicando que alguns indivíduos já entraram na Aceitação, que é como quem diz:  “Vai tudo bem… não consigo lutar contra isto, o melhor é ajudar-me a  este fadário; toca a pagar e bico calado; isto até foi para o bem de nós… perdemos a nossa qualidade de vida e levamos uma machadada nos nossos salários… mas tempos melhores virão! Vendo bem o nosso Albertinho não foi assim tão mau!” Resumindo, mesmo com o “pepino bem enfiado” fingimos que está tudo bem!”
Conforme já foi descrito por Kubler-Ross, alguns pacientes na fase de Aceitação e para ultrapassarem os episódios mais traumáticos ou o sentimento de perda chegam a exageros e a absurdos completamente apalhaçados: “Ah! O meu marido, ele era tão bom! É verdade que ele me dava porrada de caixão-à-cova, mas tenho tantas saudades dele!; Apesar dos avisos do médico para deixar de fumar, vou morrer de cancro nos pulmões, mas a minha família vai ficar feliz porque o seguro vai pagar o apartamento”, etc…  
E se abrimos os jornais, vimos todos os dias elogios e louvores ridículos a Jardim, escritos por certos nostálgicos que, mesmo com o “rabo a arder”, acham que o Alberto João foi o maior, apesar de terem a família à míngua e os filhos dispersos pelo Mundo.
Segundo alguns psicólogos do comportamento social, nós temos a tendência quase desesperada para que o nosso sofrimento e os nossos sacrifícios TENHAM ALGUM SENTIDO. Por exemplo, na guerra colonial, os políticos incentivaram os jovens a combater pela pátria e pela glória de Portugal. E se algum desses jovens morria nas nossas ex províncias ultramarinas, não se poderia dizer aos pais que os filhos tinham morrido em vão… então, inventava-se frases eloquentes e cheias de valores patrióticos para justificar essas mortes inúteis e assim apaziguar o sofrimento dos familiares. 
Na sua recente obra “Homo Deus”, Yuval Harari diz o seguinte: “Um soldado estropiado que tenha ficado sem as duas pernas prefere dizer a si mesmo:  – sacrifiquei-me para a glória eterna da nação! Do que dizer: - fiquei sem as pernas porque fui estupido ao acreditar em políticos que só querem saber dos seus interesses.” E depois conclui: “Viver com a fantasia é muito mais fácil porque esta dá sentido ao sofrimento!”
Esta mesma lógica aplica-se à nossa periclitante situação atual, onde temos uma horrível dívida de cinco mil milhões de euros que nos sufoca e nos causa grande sofrimento. Então, fazemos como o soldado que perdeu as duas pernas e tentamos dar algum significado, algum sentido, a esta loucura atroz que nos levou ao abismo.  
 Então, preferimos dizer que a nossa DÍVIDA não foi em vão… que fizemos magníficas obras monumentais; que nos transformamos numa espécie de Singapura do Atlântico; que quando alguém chega à Madeira fica maravilhada com o nosso desenvolvimento; que temos grandiosos centros cívicos, magníficos campos de futebol, belíssimos campos de golfe, moderníssimas piscinas, enormes e eficientes parques industriais, fenomenais passeios marítimos,  e que até exportamos inteligência para o Mundo graças ao nosso Brava Valley e ao nosso M-ITI-Madeira (como bons provincianos/vilões inventamos nomes ingleses para alindar o embrulho).  Isto é, mascaramos a realidade com as nossas maravilhosas e pretensiosas fantasias, porque é infinitamente menos doloroso e menos humilhante para a nossa psicose coletiva isto tudo, que assumirmos que na realidade fomos “sodomizados”, aldrabados e tramados pelos excessos amalucados do dr. Jardim e respetiva camarilha. (fénix do Atlântico)

Para o gordo "Papudo"Em resposta às alarvidades por ele escritas no blog RENOVADINHOS



domingo, 10 de dezembro de 2017

O bom e o mau do Poder Local "democrático".Vejam o exemplo da maior câmara do país:Lisboa!

 Apesar do poder local democrático eleito pelos cidadãos, ser uma das conquistas da Revolução de Abril. Com o decorrer dos anos, apareceram muitos vícios, que se têm revelado preocupantes para o bom funcionamento e credibilidade do Poder Local e do próprio regime Democrático.
  Surgiu o caciquismo com todo o seu cortejo de apoiantes e bajuladores e a corrupção generalizada ligada ao sector imobiliário e aos grandes negócios à volta dos licenciamentos urbanos. A aprovação de planos directores municipais (PDMs) manhosos, afim de favorecer os grandes interesses imobiliários. Depois a denúncia destes negócios tem sido quase sempre barrada pelos próprios juízes dos Tribunais, os tais Órgãos de Soberania, na sua maioria, corruptos ou feitos com os interesses dos grandes senhores do dinheiro.
 Vemos que qualquer cidadão, ou jornal que denuncie estes desmandos é logo alvo de uma chuva de processos em tribunal interpostos pelos próprios corruptos e pelos corruptores. 
 Os titulares dos chamados "Órgãos de Soberania" como na maioria dos casos estão capturados ao serviço dos grandes negócios aplicam logo a lei da rolha com sentenças iníquas e vergonhosas, alinhadas no Código Penal fascista (herdado do tempo do Salazar e usadas no nossos sistema democrático) nomeadamente com os artigos 180 a 187, e pronto temos o baile armado!
  Ou seja:Corruptos protegidos pelo sistema judicial e o esmagamento completo de cidadãos de bem, que se atrevem a denunciar todos estes negócios e desmandos.
 Depois temos os cargos e tachos de nomeação e confiança política, atribuídos pelos autarcas oportunistas, a todos os seus amigos e apoiantes. Todos, com chorudos  vencimentos e privilégios que escandalizam a opinião pública.
Com estas práticas,  consomem-se avultados recursos financeiros dos cidadãos contribuintes, que levam a cortes absurdos no sector da Educação e da Saúde. Muitas vezes o munícipe dirige-se aos Centros de Saúde e verifica que não há médicos disponíveis. É confrontado com listas de espera intermináveis. Vai para os hospitais, idem: Enfrenta listas de espera de anos e confronta-se com a falta de medicamentos.
 Não há de facto dinheiro suficiente para a Saúde, mas o mesmo parece nunca faltar aos autarcas corruptos que enxameiam as autarquias por  todo o país, distribuindo assessorias com salários das arábias por todos os seus afilhados e amigos politicos.
E depois nada, mesmo nada lhes acontece. Vejam o exemplo da Câmara Municipal de Lisboa hoje dado à estampa pelo semanário SOL!




Cromo do dia:

A madame vereadora do cacique UPSV (Unidos por São Vicente) Carlos Garcês.


sábado, 9 de dezembro de 2017

Baltazar Aguiar denunciou com bastante clareza as falcatruas da Madeira Nova

ANTÓNIO OLIVEIRA FREITAS É O LADRÃO DE SÃO VICENTE DO PSD MADEIRA QUE METEU MAIS DE 3 MILHÕES DE EUROS NO BOLSO SEM TER MÁQUINAS, NEM LICENÇAS NEM  Diz o Mamadeira Laranja
Com a devida vénia, do blog de S. Vicente Mamadeira Laranja

Funchal-Notícias dá relevo a uma crítica do presidente do PTP, José Manuel Coelho

José Manuel Coelho critica nomeação polémica de Arlindo Pão para técnico especialista do gabinete de Humberto Vasconcelos
Arlindo Pão (à esquerda) com o deputado Élvio Encarnação.
O secretário regional de Agricultura e Pescas nomeou Manuel Arlindo Pão, para técnico especialista do seu gabinete. O presidente do PTP, José Manuel Coelho, tem criticado aquilo que considera ser “um tacho” criado por Miguel Albuquerque “a um amigo de Machico”. Uma nomeação que também está a gerar protestos dentro do PSD local, segundo o líder do Partido Trabalhista.
José Manuel Coelho revela que o deputado de Machico, Élvio Encarnação, terá dado a dica a Miguel Albuquerque para, através da Secretaria Regional da Agricultura e Pescas, nomear o antigo atleta da Associação Desportiva de Machico para técnico especialista, com um vencimento que ultrapassa os 3 mil euros.
O FN reproduz a nomeação de Manuel Arlindo Pão, já publicada no Jornal Oficial da Região, no dia 6 de dezembro, com a justificação do Governo Regional para a nomeação de Arlindo Pão.
“Considerando que se torna necessário proceder à designação do Senhor Manuel Arlindo Fernandes Rodrigues de
Pão, para exercer funções de técnico especialista através da concretização das políticas regionais estabelecidas para o
acompanhamento, manutenção e reparação, higiene e segurança no trabalho na área da mecanização agrícola;
Considerando que face a esta relevância torna-se necessário manter uma assessoria específica nesta área através de um apoio técnico especializado a prestar no meu Gabinete;
Considerando que o Senhor Manuel Arlindo Fernandes Rodrigues de Pão, atenta a sua experiência profissional, possui as competências, aptidões e qualificações adequadas à prestação daquela função.
Nestes termos, ao abrigo da alínea c) do n.º 1 do artigo 3.º, n.º 4 do artigo 4.º, artigos 10.º e 11.º do Decreto-Lei n.º 11/2012, aplicável subsidiariamente com as necessárias adaptações à Região Autónoma da Madeira, determino:
Designar o Senhor Manuel Arlindo Fernandes Rodrigues de Pão, técnico especialista do meu Gabinete, para prestar assessoria especializada na concretização das políticas regionais estabelecidas para o acompanhamento, manutenção e reparação, higiene e segurança no trabalho na área da mecanização agrícola”. (veja fonte)

cromos da RTP/Madeira

 Têm razão.O Pereirinha diz verdades, pois as PPP da Vialitoral e da Via Expresso custam ao orçamento regional uma verdadeira pipa de massa. Dava para a  construção  do novo hospital. Pena o Carlos Pereira não chegar a presidente do Governo Regional; vai ser traido pela lebre do norte e pelo Avelino Conceição  e pelo 1º damo!

 Os donos brigam.A padaria fecha!

 O nosso amigo de Machico bota faladura; mas não diz nada  de significativo

Olhem o nosso "Raimunadas"como diz o tio Alberto

Ai credo ! a menina caciquezinha de Santa Cruz toda "séria"!

Carlos Jardim e Rafael Jardim (pai e filho na vida real) não apoiam o Caf^fo nem a "lebre do norte"


Teólogo católico, Anselmo Borges fala da corrupção e lavagem de dinheiro no Banco do Vaticano

Abalado por esse pesado escândalo (com vários assassinatos, envolvimento com a Máfia italiana, lavagem de dinheiro, com a Loja Maçonica italiana P2, …) na década de 1980, o BANCO DO VATICANO foi reformado pelo então Papa João Paulo II em 1989.  Atualmente o Banco do Vaticano tem um patrimônio de US$ 5 bilhões e administra 33 mil contas, sobretudo de italianos.

(n.T. ESTE ESCÂNDALO do BANCO da Igreja de ROMA IRIA SER REVELADO AO MUNDO pelo então recém eleito Papa JOÃO PAULO I, eleito em 26 de agosto de 1978 e ASSASSINADO (envenenado) em 28 de Setembro de 1978, apenas 33 dias após assumir o seu mandato papal, evitando assim uma enorme crise na “SANTA” Igreja de Roma. Um assunto demonstrado no último episódio da trilogia O Poderoso Chefão“)  (ver FONTE)

Leia mais informação AQUI


sexta-feira, 8 de dezembro de 2017

Ex-mulher de Miguel Albuquerque anda agastada com António Fontes por causa da publicação da sua fotografia no Diário


A foto da polémica capturada na net pelo blog Pravda e usada por António Fontes no seu artigo humorístico que nos delicia todos os Domingos.

Ex-Madame Elisabete Albuquerque, hoje chamada madame Elisabete Andrade, anda muito aborrecida com um foto que António Fontes publicou no seu TRIM,TRIM no passado domingo no Diário de Notícias do Funchal onde aparece a foto de Elisabete ao lado da famosa juiza do jet-set Joana Pereira Dias que colou um processo judicial ao ex-deputado do PTP José Manuel Coelho.
 A supracitada senhora publicou na edição de hoje do Diário de Notícias uma carta do leitor que transcrevemos  com a devida vénia:

“Um coelho fora da cartola”

No artigo de opinião do Sr. Dr. António Fontes, no passado domingo, lê-se a dada altura:

4.“A senhora doutora juíza Joana Pereira Dias”...”faz uma vida social e pública na Madeira - por exemplo, em festas de fim-do-ano no Lobo Marinho ou em eventos no Teatro Municipal Baltasar Dias- expondo-se a ser fotografada em convívio com pessoas que”...”julga ou pode potencialmente ter de julgar em tribunal.”

5.”No limite”...”um juiz na Madeira não deve ter vida social pública.”...”- não deve mesmo ostentar publicamente amigos.”Isto, claro, porque os madeirenses são uns malandros! Segundo o senhor doutor, “Os madeirenses são” mesmo “intragáveis em juízos de desvalor.”!Caso para dizer: olha quem fala!É dispensável comentar a sua opinião assumida que atribui à Madeira características de liberdade social menores das que se vivem no resto do país.Suponho que para este jurista da nossa praça, será mais adequado fingirmos que não nos conhecemos em público, e depois, no sossego dos nossos recantos tratarmos de influenciar os juizes com quem partilhamos copos ou camas, já que, por não irem ao teatro ou às festas, em ocasiões assinaláveis, e simpaticamente se deixarem fotografar pelo pessoal que trabalha para a comunicação social, ficam libertos da maçada de pedir escusa quando forem chamados a julgar os amigos...Mas é evidente que não estaria para aqui a gastar tempo com considerações acerca dos escritos da inteira responsabilidade de António Fontes se não fosse a fotografia que ilustra o seu artigo de opinião e na qual consto como figura central.E não, não é por se tratar dum “tesourinho deprimente” de má fotogenia...para mais de copos na mão a atestar que ninguém se fez à pose para aparecer no retrato!!O que pergunto é:- Então, a senhora Dra. Juíza Joana Dias, faz uma intensa vida social tão pública, e tão desadequadamente exposta em tantos sítios, e não há mais do que uma única fotografia a comprova-lo ao longo dos anos, que já são muitos, sempre a mesma, e só comigo, imagino que o cônjuge não conte! e logo numa ocasião em que eu acompanhava o meu marido, que presidia à Câmara do Funchal, na recepção das pessoas num “Madeira de Honra” no Teatro Municipal para o qual a senhora tinha sido convidada de forma institucional?!- Ou o assunto é mesmo comigo, e o dr António Fontes acha que represento a má companhia, com enorme potencial para ter que ser julgada em tribunal pelos imensos “crimes” de que, também eu! Fui sendo acusada de forma persecutória no pasquim da pandilha do José Manuel Coelho, que agora o senhor já critica, embora que apenas em 99% ?!...Em que ficamos?Tem mais: Como jurista, o Sr. Dr. António Fontes, saberá por certo que nem na época, “mulher de figura pública era figura pública”, quanto mais agora, volvidos tantos anos e tanta vida!Não sou figura pública, e não me lembro de lhe ter dado autorização para utilizar a minha imagem para ilustrar o seu artigo de opinião.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Albuquerque aconselhado por Élvio Encarnação arranja chorudo tacho para mais um afilhado político

Arlindo Pão, é o cavalheiro de camisa vermelha.O outro é o Elvio Encarnação a quem o Alberto João chama de "meia-bola"

 O feliz contemplado é o sr. Manuel Arlindo Fernandes Rodrigues Pão antigo atleta da ADM (Associação Desportiva de Machico) para segundo diz o Jornal Oficial da Região:«... exercer as funções de técnico especialista através da concretização das políticas regionais estabelecidas para o acompanhamento, manutenção e reparação, higiene e segurança no trabalho na área da mecanização agrícola.» vai ganhar 65% do vencimento de um técnico de direcção superior de 1º grau. Terá por isso um vencimento  mensal aproximado de 2 427 € acrescido da importância de 778 € para despesas de representação. Miguel Albuquerque paga muito bem aos seus fiéis apoiantes. E então recomendado pelo seu fiel cacique machiquense, o deputado Élvio Encarnação, a coisa não pode falhar!

Os partidos burgueses na Madeira inspiram-se em doutrinas estalinistas para expulsar militantes.

consultar FONTE

“As voltas que o mundo dá” é a reacção de Alberto João Jardim sobre expulsões no PSD Madeira

O anterior presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, reagiu desta forma à publicação do Diário de Notícias da Madeira que dava conta da expulsão de 40 militantes do PSD por terem apoiado outras candidaturas nas eleições autárquicas.

O antigo presidente do Governo Regional, Alberto João Jardim, utilizou a expressão “as voltas que o mundo dá” para se referir à notícia publicada pelo Diário de Notícias da Madeira que dava conta da expulsão de 40 militantes do PSD Madeira por terem apoiado outras candidaturas nas eleições autárquicas.Alberto João Jardim criticou a indignação “renovadinha” que se gerou quando na altura em que dirigia o partido tentou expulsar militantes do PSD Madeira por se candidatarem por outras listas.O anterior governante regional lembra que esses “renovadinhos” chegaram a fazer juras que não iriam atuar da mesma forma. (económico madeira)



 Nessa mesma linha de atuação o Pereirinha já chamou ao tapete o deputado Avelino Conceição, afim de lhe dar uma severa reprimenda pelo facto do mesmo andar a trair a atual direção do PS Madeira, juntamente com a "lebre do norte".
 Carlos Pereira  atento à situação já está atento às instruções do do "livrinho" e está agindo em conformidade.
Chegou à mesma conclusão do tio Alberto: Um partido com traidores à direção, não vai muito longe!
Também o Jesus de Nazaré chegou à mesma conclusão há 1967 anos atrás:

“Todo reino dividido contra si mesmo será arruinado, e toda cidade ou casa dividida contra si mesma não resistirá. Mat.12:25

Miguel Alves vice-presidente da CMSC convive mal com a crítica



Agastado vem em defesa do sonsinho de Gaula. Em causa a polémica do Santa Cruz Shoping que permanece encerrado e a Câmara nada faz para que se ultrapasse aquele impasse







O sonsinho de Gaula no meio dos seus indefectíveis apoiantes. Até parece o menino Jesus!Vejam o culto da personalidade que se cria à volta do caciquismo local!

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

Instantâneos do dia captados pelo nosso reporter na RTP Madeira




 Savino Correia tem de fazer uma dietazinha com urgência.Dá mesmo para ver, né!

 A senhora da Ribeira Brava esteve intervindo com um discurso moralista, dizendo que era preciso prestigiar a Assembleia. Não se lembrou de falar no Jaime Ramos.


 Senhora vereadora, braço direito do cacique de S. Vicente que obteve uma votação tipo africana .Ganhou todos os lugares da vereação.

Foto do facebook de Avelino Conceição, apoiante da "lebre do norte"!

Leia mais sobre este grande intelectual do Porto, AQUI